COMEMORAÇÃO - DIA NACIONAL DO LIVRO INFANTIL E MONTEIRO LOBATO - 18 DE ABRIL - VÍDEO LEGAL...

Dia Nacional do livro infantil:

A Data foi criada em 2002 em homenagem a Monteiro Lobato, um dos principais autores da Literatura Infanto juvenil Brasileira:
Nascido na cidade de Taubaté, em São Paulo (SP), José Bento Renato Monteiro Lobato foi um dos mais influentes escritores brasileiros do século XX, importante editor de livros inéditos e autor de relevantes traduções. Após sua morte, em julho de 1948, suas obras foram eternizadas na literatura brasileira e são, ainda hoje, leitura obrigatória na educação básica brasileira.
  
Mais da metade dos livros de Monteiro Lobato tinham como alvo o público infanto juvenil, com a intenção de ajudar na formação intelectual e moral da juventude brasileira. Entre os mais populares estão: "A Menina do Nariz Arrebitado"; "O Saci"; "Fábulas do Marquês de Rabicó"; "Aventuras do Príncipe"; "Noivado de Narizinho"; "O Pó de Pirlim pimpim"; "Reinações de Narizinho"; "As Caçadas de Pedrinho"; "Emília no País da Gramática"; "Memórias da Emília"; "O Poço do Visconde" e "O Pica pau Amarelo", que foi transformado em obra televisiva nos anos 80 e sendo regravado no final dos anos 90.
Monteiro Lobato morreu em 4 de julho de 1948, aos 66 anos de idade, e no ano de 2002 foi criada uma Lei (10.402/02) que registrou o seu nascimento como data oficial da literatura infanto juvenil.
Fonte: Portal Brasil
O dia 18 de abril foi instituído como o dia nacional da 

literatura infantil, em homenagem à Monteiro Lobato.

“Um país se faz com homens e com livros”. 

Essa frase criada por ele demonstra o valor

que dava à leitura e sua forte influência no 

mundo literário.

Monteiro Lobato foi um dos maiores autores da 

literatura infanto-juvenil brasileira.

Nasceu em Taubaté, interior de São Paulo, em 

18 de abril de 1882, iniciou sua carreira

escrevendo contos para jornais estudantis. Em 

1904 venceu o concurso literário do Centro 

Acadêmico XI de Agosto, época em que cursava a

 faculdade de direito.

Como viveu um período de sua vida em fazendas

 seus maiores sucessos fizeram referências à

 vida num sítio, assim criou o Jeca Tatu, um 

caipira muito preguiçoso.

Depois criou a história “A Menina do Nariz 

Arrebitado”, que fez grande sucesso. Dando 

sequência a esses sucessos, montou a maior 

obra da literatura infanto-juvenil: O Sítio do

Pica pau Amarelo, que foi transformado em obra

televisiva nos anos oitenta, sendo regravado

 no final dos anos noventa.


Dentre seus principais personagens estão D. 

Benta, a avó; Emília, a boneca falante; Tia 

Nastácia, cozinheira que preparava famosos 

bolinhos de chuva, Pedrinho e Narizinho,

 netos de D. Benta; Visconde de Sabugosa, o

boneco feito de sabugo de milho, Tio Barnabé o

caseiro do sítio que contava vários “causos” 

às crianças; Rabicó, o porquinho cor-de-rosa; 

dentre vários outros que foram surgindo

 através das diferentes histórias. Quem não se

lembra do Anjinho da asa quebrada que caiu do 

céu e viveu grandes aventuras no sítio?

Dentre suas obras, Monteiro Lobato resgatou a 

imagem do homem da roça, apresentando 

personagens do folclore brasileiro, como o 

Saci Pererê, negrinho de uma perna só; a Cuca,

 uma jacaré fêmea muito malvada; e outros.

 Também enriqueceu suas obras com obras 

literárias da mitologia grega, bem como com 

personagens do cinema (Walt Disney) e das 

histórias em quadrinhos.


Na verdade, através de sua inteligência,

 mostrou para as crianças como é possível 

aprender através da brincadeira. Com o

 lançamento do livro “Emília no País da 

Gramática”, em 1934, mostrou assuntos como 

adjetivos, substantivos, sílabas, pronomes,

 verbos e vários outros. Além desse, criou 

ainda Aritmética da Emília, em 1935, com as 

mesmas intenções, porém com as brincadeiras se

passando num pomar.

Monteiro Lobato morreu em 4 de julho de 1948

 aos 66 anos de idade, no ano de 2002 foi

 criada uma Lei (10.402/02) que registrou o

 seu nascimento como data oficial da 

literatura infanto-juvenil.

Por Jussara de Barros
Graduada em Pedagogia


ASSISTA AO VÍDEO E CANTE:




SÍTIO DO PICAPAU AMARELO - GILBERTO GIL
Marmelada de banana, bananada de goiaba
Goiabada de marmelo
Sítio do Pica-Pau amarelo
Sítio do Pica-Pau amarelo
Boneca de pano é gente, sabugo de milho é gente
O sol nascente é tão belo
Sítio do Pica-Pau amarelo
Sítio do Pica-Pau amarelo
Rios de prata, pirata
Vôo sideral na mata, universo paralelo
Sítio do Pica-Pau amarelo
Sítio do Pica-Pau amarelo
No país da fantasia, num estado de euforia
Cidade polichinelo
Sítio do Pica-Pau amarelo
BOM TRABALHO!!!!


Comentários