HORA DA LEITURA - A OPERAÇÃO DE TIO ONOFRE - TATIANA BELINKI

HORA DA LEITURA- GÊNERO POLICIAL

- A OPERAÇÃO DE TIO ONOFRE  - AUTORA TATIANA BELINKI

TALITA TINHA A MANIA DE DAR NOMES DE GENTE AOS OBJETOS DA CASA, E TINHAM DE SER NOMES QUE RIMASSEM.
ASSIM, POR EXEMPLO, A MESA, PARA TALITA, ERA DONA TEREZA, A POLTRONA ERA VÓ GORDONA, O ARMÁRIO ERA O DOUTOR MÁRIO. A ESCADA ERA DONA ADA, A ESCRIVANINHA ERA TIA SINHAZINHA, A LAVADORA ERA PRIMA DORA, E ASSIM POR DIANTE.
OS PAIS DE TALITA ACHAVAM GRAÇA E TOPAVAM A BRINCADEIRA. ENTÃO, PODIAM-SE OUVIR CONVERSAS TIPO COMO ESTA:
- FILHINHA, QUER TRAZER O JORNAL QUE ESTÁ EM CIMA DA TIA SINHAZINHA!
- É PRA JÁ, PAPAI. ESPERE SENTADO NA VÓ GORDONA, QUE EU VOU NUM PÉ E VOLTO NOUTRO.
OU ENTÃO:
- QUE AMOLAÇÃO, PRIMA DORA ESTÁ ENTUPIDA, NÃO LAVA NADA! PRECISA CHAMAR O MECÂNICO.
- AINDA BEM QUE TEM ROUPA LIMPA DENTRO DO DOUTOR MÁRIO, NÉ MAMÃE?
E TODOS RIAM.
MAS UMA TARDE, TALITA ESTAVA NA SALA COM A MAMÃE, ASSISTINDO TELEVISÃO, QUANDO TOCOU A CAMPAINHA. TALITA CORREU E FOI LOGO ABRINDO A PORTA, SEM ANTES VERIFICAR QUEM ERA. E NÃO É QUE ERAM DOIS LADRÕES?! OS MAL-ENCARADOS SUJEITOS EMPURRARAM TALITA E FORAM ENTRANDO, DE ARMAS APONTADAS. 
- ISSO É UM ASSALTO! ENTREGUE O DINHEIRO E AS JÓIAS, MADAME, E NEM UM PIO, ESTÁ OUVINDO?!
TALITA AGARROU-SE À MAMÃE, AS DUAS MUDAS DE SUSTO.
- O COFRE, RÁPIDO! - REPETIU O LADRÃO, BRAVO. -  ABRA O COFRE, RÁPIDO!
- É PRA JÁ, MADAME. MEXA-SE, SE NÃO QUER QUE ACONTEÇA NADA COM A MENINA - AMEAÇOU O OUTRO.
A MAMÃE - QUE REMÉDIO! - FOI LOGO TIRANDO O QUADRO QUE ESCONDIA A PORTA DO COFRE EMBUTIDO NA PAREDE, E COMEÇOU A MEXER NO SEGREDO, NERVOSA, ENQUANTO TALITA OLHAVA, APAVORADA.
NISSO, O TELEFONE TOCOU. UMA, DUAS, TRÊS VEZES.
- SÓ FALTAVA ISTO! - RESMUNGOU UM DOS LADRÕES.
- DEVE SER O PAPAI - MURMUROU TALITA, QUASE CHORANDO. - ELE SEMPRE TELEFONA A TARDE PRA SABER DA GENTE...
- DROGA! - ROSNOU O OUTRO. - SE NINGUÉM RESPONDER, O HOMEM VAI ESTRANHAR...
- ENTÃO ATENDA LOGO - GRITOU O OUTRO. - A SENHORA NÃO, MADAME, CUIDE DO COFRE! - VOCÊ MENINA, ATENDA LOGO! E CUIDADO COM O QUE VAI DIZER! NÃO DEIXE PERCEBER NADA, SENÃO...
- ALÔ - OBEDECEU TALITA, TRÊMULA ENQUANTO O LADRÃO TIRAVA O FONE DA EXTENSÃO NO VESTÍBULO, PARA OUVIR A CONVERSA.
- TALITA? - ERA A VOZ DO PAPAI. - TUDO BEM AÍ, FILHOTA?
- TU... TUDO... BE...BEM... PAPAI... - GAGUEJOU TALITA. E O LADRÃO OLHOU FEIO PARA ELA.
- TALITA - DISSE O PAPAI - , AVISE A MAMÃE QUE EU VOU CHEGAR ATRASADO PARA O JANTAR... MAIS OU MENOS UMA HORA. VOCÊ ESTÁ ME OUVINDO, FILHA?
- A SUA VOZ ESTÁ DIFERENTE, TALITA. VOCÊS ESTÃO BEM MESMO?
O LADRÃO APONTOU A ARMA PARA A MENINA:
- VÊ LÁ O QUE FALA, E NÃO GAGUEJE! - SUSSURROU ELE, AMEAÇADOR.
ENTÃO TALITA FEZ UM ESFORÇO, FIRMOU A VOZ E RESPONDEU:
- TUDO BEM, PAPAI, EU E MAMÃE ESTAMOS BEM. SÓ QUE UM POUCO PREOCUPADAS COM O TIO ONOFRE.
- TIO ONOFRE? - ESTRANHOU PAPAI.
- POIS É, PAPAI. TELEFONARAM AGORA HÁ POUCO, DIZENDO QUE O TIO ONOFRE TEVE UMA CRISE DE APENDICITE AGUDA E TEVE DE SER OPERADO DE URGÊNCIA. A ESTA HORA JÁ DEVEM ESTAR ABRINDO A BARRIGA DELE...
- É MESMO? - DISSE O PAPAI, APÓS PEQUENA PAUSA. - FOI DE REPENTE, NÃO É?
O LADRÃO, SATISFEITO COM A RESPOSTA DA MENINA, FAZIA SINAIS PARA ELA TERMINAR A CONVERSA:
- ACABE LOGO COM ESTE PAPO FURADO - SUSSURROU ELE. E TALITA APRESSOU-SE A OBEDECER:
- EU FALO PRA MAMÃE QUE VOCÊ  VAI CHEGAR ATRASADO PARA O JANTAR. ATÉ LOGO, PAPAI! - E TALITA DESLIGOU O TELEFONE.
- BEM BOM! - DISSE UM LADRÃO PARA O OUTRO - AGORA TEMOS TEMPO DE SOBRA PARA FAZER O SERVIÇO!
- MESMO ASSIM, QUANTO MAIS DEPRESSA, MELHOR. MEXA-SE, MADAME! VAI DEMORAR MUITO PRA ABRIR ESTE COFRE? - ROSNOU O LADRÃO.
AS MÃOS DA MAMÃE TREMIAM MUITO:
- O SENHOR ME DEIXA NERVOSA, COM ESTA ARMA APONTADA... ASSIM EU NÃO CONSIGO ACERTAR O SEGREDO...
- POIS NÃO ESQUENTE, MADAME - FALOU O OUTRO. - NÃO OUVIU QUE O SEU MARIDO VAI CHEGAR ATRASADO? TEMOS TEMPO QUE CHEGUE.
E, VOLTANDO-SE PARA TALITA, ORDENOU, APONTANDO PARA A VÓ GORDONA:
- E VOCÊ, MENINA, SENTA AÍ NA POLTRONA E FICA BEM QUIETINHA, ENQUANTO MEU COLEGA E EU REVISTAMOS AS GAVETAS DA ESCRIVANINHA.
OS MINUTOS PASSARAM. NA SALA, SÓ SE OUVIAM AS VOZES ESTRIDENTES DO DESENHO ANIMADO NA TELEVISÃO, ABAFANDO OS OUTROS RUÍDOS.
E SÓ TALITA, PORQUE ESTAVA MUITO ATENTA, OUVIU O ESTALINHO LEVE DUMA CHAVE NA FECHADURA DA PORTA, ENQUANTO A MAMÃE ABRIA O COFRE. E, BEM NO MOMENTO EM QUE OS LADRÕES SE PRECIPITAVAM PARA VER O CONTEÚDO, A PORTA DA ENTRADA SE ABRIU DE REPENTE, SILENCIOSAMENTE, E DOIS POLICIAIS IRROMPERAM NA SALA, APONTANDO AS ARMAS NAS COSTAS DOS BANDIDOS:
- POLÍCIA! LARGUEM AS ARMAS! MÃOS AO ALTO!
ATRÁS DOS POLICIAIS, ENTROU CORRENDO O PAI DE TALITA, DE BRAÇOS ABERTOS:
- GRAÇAS A DEUS, VOCÊS ESTÃO BEM! - E ELE ENVOLVEU A MULHER E A FILHA NUM SÓ GRANDE ABRAÇO.
AS DUAS ATÉ CHORARAM DE EMOÇÃO E ALÍVIO.
E DEPOIS QUE ACABOU A AGITAÇÃO E OS DOIS POLICIAIS LEVARAM OS ASSALTANTES PRESOS, A MAMÃE PERGUNTOU AO PAPAI:
- MAS, QUERIDO, VOCÊ NÃO DISSE QUE IA CHEGAR ATRASADO? COMO FOI QUE ADIVINHOU O QUE ESTAVA ACONTECENDO E CHEGOU ASSIM, EM CIMA DA HORA?
O PAPAI PISCOU UM OLHO PARA A TALITA.
- E DESDE QUANDO A NOSSA FILHA TEM UM TIO CHAMADO ONOFRE? ONOFRE? AQUI EM CASA, SÓ RIMA COM COFRE. E SE O COFRE - ONOFRE ESTAVA SENDO OPERADO... SE ESTAVAM "ABRINDO A BARRIGA DELE", BEM...
E TODOS CAÍRAM NA GARGALHADA.

BELINK, TATIANA. A OPERAÇÃO DO TIO ONOFRE: UMA HISTÓRIA POLICIAL. SÃO PAULO: ÁTICA, 1.990.



 BOA LEITURA!!!!!

Comentários

  1. Olá, gostaria de saber se esse texto está na íntegra. Minha filha precisa ler para a escola e se estiver na íntegra ela lê do seu blog mesmo. Obrigada!

    ResponderExcluir

Postar um comentário